Publicidade

Vilões dos games que não conseguimos odiar

Vilões dos games que não conseguimos odiar - Sephiroth

Vilões dos games que não conseguimos odiar

Quase todas as obras que assistimos, lemos ou jogamos possuem a figura do protagonista. O personagem central, no qual toda a trama gira em volta.

Esse protagonista, porém, não é visto com o mesmo valor se não houver em contraponto a figura do vilão.

Esse personagem precisa representar tudo que for oposto ao personagem principal. Sua motivação, caráter, etc.

Mas, e quando uma obra nos apresenta um vilão que foge desse estereótipo, possuindo camadas mais profundas que acabam nos cativando?

Os videogames não são exceção, e por isso listaremos cinco vilões dos games que não conseguimos odiar, mesmo que eles nos deem motivos:

*(Alerta de Spoilers)

Vilões dos games que não conseguimos odiar - Coringa

Vilões dos games que não conseguimos odiar

Coringa – Batman: Arkham Knight

Em Arkham Knight, o Coringa está morto, mas nem isso o impede de atormentar a vida do Batman. Atingido pelo gás do Espantalho, Batman (Que já vinha dando sinais de desequilíbrio) passa a ter recorrentes visões do Coringa conversando, acusando e até guiando seu caminho.

A Rocksteady acertou em cheio na ideia, já que o Coringa, apesar de ser o maior vilão do Batman, é quase tão amado quanto o morcego. O jogo se torna extremamente mais divertido pelo fato de ter o seu maior vilão te “seguindo” durante todo o tempo no jogo, muitas das vezes para atormentar ainda mais a mente já comprometida do Batman.

Não dá pra odiar o Coringa exatamente por ser o Coringa. Ele pode ser um psicopata, mafioso e sádico, mas é o cara mais engraçado e carismático que você vai encontrar no universo Batman.

Vilões dos games que não conseguimos odiar - Barão Sanguinário

Vilões dos games que não conseguimos odiar

Barão Sanguinário – The Witcher 3

O Barão não é exatamente um vilão em The Witcher 3. Geralt estava atrás de Ciri quando soube que o Barão Sanguinário do Poleiro do Corvo poderia saber de algo.

Ele tinha uma péssima fama, que se confirma quando o conhecemos. Ele está a procura da esposa e da filha, que foram embora. Geralt está a procura de Ciri, e os dois fazem um acordo por informações.

Em sua investigação, Geralt descobre que o Barão agrediu a esposa e a filha em muitas ocasiões. E fica ainda mais grave quando sabemos que ela foi agredida quando estava grávida, o que provoca um aborto e o bebê se transforma em uma criatura que é fruto dessa rejeição.

Todo esse histórico, além de seu legado violento já fazem dele pior que muitos vilões conhecidos, mas não é assim que acontece.

Nós conhecemos toda essa história através do próprio Barão, e o que vemos no jogo é um homem completamente destruído e ressentido do que fez, ainda que imperdoáveis e irreversíveis tenham sido os seus atos.

A sinceridade e a determinação em tentar reparar o que fez nos fazem ter uma inesperada empatia pelo Barão, e fica muito difícil manter a raiva após seguir em frente com a história.

A conclusão dessa, que é uma das mais bem construídas missões de todos os tempos em um jogo, não é a mais feliz, mas a figura do Barão Sanguinário será mudada completamente dali pra frente. De um homem mau, violento, alcoólatra e abusivo, para um velho arrependido que perdeu tudo que era mais importante.

Vilões dos games que não conseguimos odiar - The Boss

Vilões dos games que não conseguimos odiar

The Boss – Metal Gear Solid 3

Quando pensei no tema, essa foi a primeira que me veio à mente. Não por ela ser uma vilã carismática, mas por ser IMPOSSÍVEL odiar essa mulher!

Conhecemos The Boss no início do jogo, quando ela dá uma surra em Naked Snake e o joga ponte abaixo. The Boss é uma soldado americana que também é mestre de Snake. Quando ficamos sabendo que The Boss deserdou para a União Soviética, a missão de Snake muda.

A partir daí, Snake precisa resgatar um homem chamado Sokolov, envolvido em projetos nucleares, e matar The Boss.

Só essa premissa já faria dela uma boa vilã, sem contar que a mulher é uma soldado lendária que não perde pra ninguém. O embate final entre pupilo e mestre é um dos melhores momentos já vistos em um jogo. Em um cenário repleto de flores brancas e um clima bem triste, o conflito se encerra.

Já era difícil não gostar dela, mas quando o jogo finaliza e você descobre que a traição dela foi uma farsa para impedir que os EUA levassem a culpa pela bomba que atingiu o território soviético, tanto o jogador como Snake ficam destruídos.

Ela se prova uma heroína incomparável enquanto Snake se sente desiludido e enganado, e então nasce Big Boss.

Apesar de ter morrido, The Boss é uma das personagens mais importantes de toda a série Metal Gear, e seu legado faz toda a trama girar durante décadas de história.

Vilões dos games que não conseguimos odiar - Magus

Vilões dos games que não conseguimos odiar

Magus – Chrono Trigger

O principal vilão de Chrono Trigger é Lavos, uma criatura que vai causar no futuro a destruição do mundo. A trama gira em torno de Crono e seus amigos viajarem entre variadas épocas para impedir que o “Dia de Lavos” aconteça.

Em meio a isso, surge Magus como antagonista.
Magus é do reino de Zeal e seu verdadeiro nome é Janus. Foi separado da família pela sua própria mãe, que estava corrompida por lavos. Por isso, vive cegamente em busca de vingança.

Enquanto Crono e seus amigos querem evitar que o “Dia de Lavos” aconteça, Magus quer trazer Lavos para destruí-lo com suas próprias mãos. Essa busca descontrolada por vingança faz com que Magus cause muitos males a muitas pessoas durante o jogo, e isso o transforma em um vilão.

Além de ser muito estiloso, Magus é um dos personagens mais poderosos do jogo e seu elemento mágico é “sombra”. Só por isso todo mundo acaba gostando muito dele.

Quando conhecemos sua história, é impossível não sentir empatia ou compreender seus sentimentos. Mas o principal motivo para não odiar Magus é o fato de poder jogar com ele. Ter o cara mais Badass e poderoso na minha party? Quem não vai querer?

Vilões dos games que não conseguimos odiar - Sephiroth

Vilões dos games que não conseguimos odiar

Sephiroth – Final Fantasy VII

Um dos vilões mais retratados em Cosplays que se tem notícia. Sephiroth talvez não seja o maior vilão de todos os tempos, mas é um deles com certeza! Possui uma legião de fãs no mundo, pelo seu design (que é incrível), seu poder ou sua história.

Sephiroth participou do projeto SOLDIER, um programa da Shinra para desenvolver soldados altamente capacitados. Se torna um herói e uma espécie de garoto propaganda da Shinra.

Quando descobre, porém, a verdade por trás de sua criação, Sephiroth jura vingança contra a “corrupção” da humanidade. Ele foi geneticamente modificado, tendo se fundido com células Jenova quando ainda era um feto. Quando nasceu, foi retirado de sua mãe pela Shinra, onde cresceu e se tornou um super soldado.

Além de ter uma história muito interessante, Cloud (o protagonista) possui uma ligação com Sephiroth que vai ganhando contornos cada vez mais dramáticos durante o jogo.

Mas o fator mais marcante sobre Sephiroth com toda a certeza é o assassinato da Aerith. A personagem mais doce do jogo e o par romântico de Cloud morre a sangue frio por um dos homens que ele mais admirava.

Essa morte foi um dos maiores traumas dos fãs de Final Fantasy.  Por isso colocam Sephiroth no pedestal (junto a Kefka) dos maiores vilões da série e da história dos games.

Mesmo com tudo isso, é difícil achar alguém que diga que não gosta do personagem. Sephiroth para muitos é o melhor personagem de Final Fantasy VII, graças ao seu design incrível, seu poder, sua história, seus atos durante o jogo e claro, sua música tema sensacional!


Concorda com o post? Quais outros vilões poderiam entrar? Deixe sua sugestão para a próxima lista, nos comentários 😉

Leia também >>Jogos que dariam ótimas séries<<

Comentários

Tags

Talvez você goste...

Desculpe-nos - Os Comentários estão desabilitados

Canal Deu Bug

novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Sites Parceiros

Acesse Trem do Hype!