Home / Cinema / Artigos de Cinema / O mínimo para viver – A mensagem deixada pelo filme
O mínimo para viver

O mínimo para viver – A mensagem deixada pelo filme

Estreando no último dia 14 de Julho, na Netflix, o filme “To the Bone” ou “O mínimo para viver” aborda a questão da anorexia e outros distúrbios alimentares pouco informados à população.

*Pequenos spoilers à frente

O enredo nos conta sobre a vida de Ellen, uma jovem de 20 anos que sofre de anorexia e tem sua vida baseada em entrar e sair de clínicas de recuperação. Sua família (bem problemática) é composta por sua mãe, que vive no interior e se descobre lésbica. Seu pai, que de tão ocupado nem aparece no filme. A responsabilidade de cuidar de Ellen recai sobre a madrasta e sua meia irmã.

Quando Ellen decide entrar em mais uma clínica de recuperação, acaba conhecendo outros jovens tão problemáticos quanto ela, que também sofrem de distúrbios alimentares. Lá ela faz amizades, se relaciona com pessoas e se dá conta de que o transtorno que enfrenta ocorre de várias formas igualmente impactantes.

O mínimo para viver

“O mínimo para viver” é um filme reflexivo, que aborda como a mente humana pode ser complexa, e como diversos problemas atingem pessoas de formas que a maioria de nós não conseguimos compreender.

Os temas tratados no filme nos levam a perceber os constantes desafios que muitas pessoas passam na vida.

PS: A anorexia, por mais que atinja em maiores proporções o público feminino, não isenta homens de desenvolverem o transtorno.

PS²: A falta de nutrientes no nosso corpo é bem mais grave do que imaginamos. Não podemos gerar outra vida se não cuidamos da nossa, o que também é abordado no filme.

O mínimo para viver
O mínimo para viver

PS³: A ajuda de amigos e familiares é primordial para que os obstáculos possam ser superados.

Ficha técnica:
Filme: O mínimo para viver
Data de lançamento: 14 de julho de 2017 na Netflix (1h 47min)
Direção: Marti Noxon
Elenco: Lily Collins, Keanu Reeves, Carrie Preston, Alanna Ubach, Liana Liberato, Kathryn Prescott, Ciara Bravo, Lili Taylor
Gênero: Drama
Nacionalidade: EUA

 

Leia também>>Okja: A fábula sobre uma verdade que não gostamos de ver<<

Clarissa M.

Sobre Diego Tibóto

O típico alucinado por JRPG’s e animes! Tem Final Fantasy como religião e vive em função de fazer as pessoas gostarem de coisas como One Piece, Fullmetal Alchemist e O Reino do amanhã. É estudante de história e possui uma enorme dificuldade em decidir sobre o que mais gosta, por isso tenta compartilhar de tudo um pouco no site e nas redes sociais.

Veja Também

Esquadrão Suicida 2

‘Esquadrão Suicida 2’ contrata roteirista de ‘Gotham’ e ‘Teen Wolf’

Segundo o Heroic Hollywood, a Warner Bros. contratou o roteirista Todd Stashwick para ajudar Gavin …