Publicidade

Games que moldaram meu caráter “gamer”

Games que moldaram meu caráter

Games que moldaram meu caráter “gamer”:

Cada ser humano possui vontades, gostos, perspectivas e personalidades diferentes. Essas características determinam o que cada pessoa leva como aprendizado, e o que vai ser levado pra toda vida.

Foi assim, após conhecer Saint Seiya na Rede Manchete, que enxerguei a amizade de uma maneira diferente, assim como me apaixonei por mitologia grega. Muitos filmes também tiveram poder semelhante, como desenhos animados, etc.

Os games fazem parte da minha vida desde o dia que ganhei o “Turbo Game” (Uma das inúmeras versões genéricas do Nintendinho que vendiam por aqui) e posteriormente um Atari. Mas foi com o Super Nintendo que minha experiência com os jogos eletrônicos tiveram um significado definitivo na minha vida.

Para que o texto não fique exageradamente filosófico e grande, citarei aqui 5 exemplos dos Games que moldaram meu caráter “gamer”. Seja com lições para a vida, uma experiência singular ou até mesmo um aprendizado para os jogos:
OBS: Não é uma lista dos meus 5 jogos preferidos, mas sim de jogos que de alguma forma me definiram como “gamer”.
Games que moldaram meu caráter - Super Mario World

Games que moldaram meu caráter

Super Mario World

O cartucho de Super Mario World chegava junto ao console quando era adquirido. Comprar um jogo nem sempre era barato, e como solução tínhamos as locadoras. Mas, como nem sempre podíamos alugar fitas, nos restava apreciar nosso Super Mario World.

O jogo acompanhava a história de Mario, que agora se aventura na terra dos dinossauros, onde mora Yoshi. Após jogar, “rejogar” e jogar novamente, inúmeros segredos foram se revelando: Fases especiais, atalhos, caminhos alternativos, etc.

Existia até uma maneira de mudar as cores do mundo, como a aparência de vários inimigos.

A verdade é que Super Mario World me fez ver que a exploração é parte essencial de um game, que pode esconder vários segredos que nos esperam para que sejam desvendados.

Após essa experiência, instintivamente eu observo cada canto onde meus personagens passam nos meus games.

Games que moldaram meu caráter - Secret of Mana

Games que moldaram meu caráter

Secret of Mana

Ainda na infância junto ao Snes, de alguma maneira que não lembro, esse jogo veio parar nas minhas mãos. A primeira impressão foi a pior possível: O jogo era cheio de texto, e eu não entendia absolutamente nada de inglês.

Porém, como foi dito lá em cima, não era fácil alugar fitas todos os dias. As opções em casa se resumiam aos jogos de sempre, então criei paciência e dei chance ao jogo.

Em suma, Secret of Mana foi minha inserção nos RPG’s, mas ele significou bem mais do que isso.

A história girava em torno de um menino, que após cair de uma ponte, retira uma espada lendária de uma pedra, desencadeando uma onda de catástrofes e monstros pelo mundo, e o próprio precisa reparar esse caos, ao mesmo tempo que descobre sua própria origem.

Eu não entendia inglês, mas percebia que havia uma história acontecendo, personagens sendo apresentados e desenvolvidos, e passei a criar na minha cabeça uma história para aquela jornada, onde os três personagens principais possuíam nomes escolhidos pelo jogador.

Então a minha imaginação se tornou a protagonista de Secret of Mana.

A trilha sonora linda e envolvente, o gameplay divertido e o belo mundo a ser explorado me fizeram perceber que estava diante do gênero mais incrível e imersivo dos videogames! Com Secret of Mana, o RPG teve o pontapé inicial para ser a minha maior paixão dentro do mundo dos games. Este fato, porém, é consolidado com uma obra que falaremos um pouco mais a frente.

Games que moldaram meu caráter - MGS3

Games que moldaram meu caráter

Metal Gear Solid 3: Snake Eater

Alguns anos mais a frente, um console muito mais avançado e uma experiência mais larga com games. Esse era o Background quando conheci Metal Gear Solid 3.

Infelizmente, eu não tinha grande simpatia por jogos de tiro, militares, fps, etc. Por isso, no Playstation 1, ignorei o primeiro Metal Gear Solid.

Um dia ganhei um pack com uma dezena de jogos. Entre eles, estava Metal Gear Solid 3: Snake Eater. A princípio ignorei e joguei todos os outros jogos. Até que um dia, decido jogar a sério esse jogo tão comentado.

MGS3 conta a história de Naked Snake, um soldado americano que precisa resgatar Sokolov, um cientista ligado a projetos nuclares e que está em posse dos Soviéticos. Claro que isso é a lasca da ponta do Iceberg, mas não quero estragar sua experiência.

Deu-se início a um vício! Uma paixão desmedida por um produto que possuía em si quase todas as características que eu odiava nos videogames naquela época: Tiros, exércitos e Stealth.

A cada plot twist, cutscentes cinematográficas, os chefes mais bem elaborados do mundo e muita história, MGS3 ia se consolidando como uma das coisas mais incríveis que eu já havia visto na vida!

Após a experiência única com Big Boss, fui atrás de todos os jogos da franquia e constatei: Hideo Kojima é um gênio!

Metal Gear Solid é uma franquia diferente de tudo que já vi! São conceitos de cinema em seu controle. Uma experiência para além dos games. Após Metal Gear Solid, os videogames nunca mais foram os mesmos pra mim. Não são apenas jogos!

Games que moldaram meu caráter - SOC

Games que moldaram meu caráter

Shadow of The Colossus

Alguma vez você imaginou um jogo onde você joga se perguntando quem você é, o que está fazendo, se está certo ou errado e até se é o herói ou o vilão?

O lugar comum de uma história é o protagonista ser um herói definido desde o início. Um herói buscando impedir algo ou alguém que planeja fazer mal à humanidade.

Shadow of the Colossus quebrou todas as minhas expectativas, e me fizeram enxergar uma arte até então não percebida em uma indústria que por muito tempo era taxada como infantil.

A história tem início com Wander(o protagonista) indo em direção a uma terra proibida em sua égua Agro, levando consigo uma menina aparentemente morta.
Não sabemos o que houve com ela, nem o motivo de Wander estar com seu corpo, mas a sua intenção é trazê-la de volta á vida.

Para que isso aconteça, ele precisa matar 16 Colossus que habitam aquelas terras. A partir desse momento, o jogo começa.

Praticamente são apenas essas informações que você terá durante a maior parte do jogo. Nada é muito claro, e você não sabe ao certo o que está fazendo.

Mas é aí que o jogo brilha! SOC é minimalista, mas extremamente artístico! O olhar dos Colossus, a forma como Wander vai ficando durante a jornada, as terras proibidas… Em tudo isso o jogador consegue interpretar o que está acontecendo à sua maneira.

Eu nunca imaginei um game onde a história pudesse ser vivida dessa forma. Ainda que o jogo contenha conceitos como a inspiração no conto da Torre de Babel, tudo ali é tão original e interpretativo que me vi bolando teorias, zerando mais de uma vez pra captar coisas diferentes… Bem, esse é o poder de Shadow of The Colossus. Não existe nada igual!

Não é o meu jogo preferido, mas talvez seja o melhor jogo já feito!

Games que moldaram meu caráter - FFVIII

Games que moldaram meu caráter

Final Fantasy VIII

Como havia dito, Secret of Mana foi a porta de entrada para os RPG’s. Porém foi em Final Fantasy que eu descobri o gênero como meu favorito.

Eu tinha um Playstation 1 que servia basicamente para jogos de luta e futebol. Há muito tempo não tinha uma experiência como tive inúmeras no Snes, até que um dia meu pai chega com 8 cd’s de Playstation pra mim, porém eram apenas dois jogos: Final Fantasy VIII e IX.

Comecei com o VIII, e já posso dizer de antemão: É o melhor jogo da minha vida!

A história acontece com Squall Leonhart, um aspirante a SeeD (um exército de mercenários liderado pelo Cid), treinado na Balamb Garden. Após uma missão, Squall conhece Rinoa, e junto a seus companheiros vão lutar contra a ameaça das feiticeiras, tendo Ultimecia como a maior delas. Ultimecia é do futuro, e pretende comprimir passado, presente e futuro em apenas um.

A história vai muito além disso, dando um foco bem grande ao romance de Squall e Rinoa. O mundo é enorme, com inúmeras cidades para visitar, terras diferentes, vários personagens e monstros mitológicos.

É em Final Fantasy VIII que eu descubro que nenhum gênero me agrada tanto como o RPG. A sensação de crescimento do personagem, ficando mais forte a medida que luta, os textos, as interações dos personagens… Os gráficos absurdos pra época, as CG’s, os monstros… Tudo isso, junto à obra de arte de Nobuo Uematsu com a trilha sonora do jogo, causaram uma paixão por Final Fantasy VIII que nenhum outro jogo conseguiu superar.

Desde então eu mergulhei no gênero RPG, e descobri histórias épicas! Final Fantasy é a minha franquia predileta, mas obras como Chrono Trigger, Chrono Cross, Valkyrie Profile, Dragon Quest VIII, Persona 4 e Xenogears me proporcionaram uma experiência que eu não teria em nenhum outro gênero.

Secret of Mana foi o primeiro, mas foi Final Fantasy VIII que definiu de vez o meu apreço por RPG. Basicamente guiou minha busca pelos jogos que vieram depois.

Obrigado, Hironobu Sakaguchi!


Falei dos games que moldaram meu caráter, mas e você? Qual é sua lista? Deixa sua opinião nos comentários!

 

Leia também >>Vilões dos games que não conseguimos odiar<<

Comentários

Tags

Talvez você goste...

Desculpe-nos - Os Comentários estão desabilitados

Canal Deu Bug

novembro 2017
D S T Q Q S S
« out    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Sites Parceiros

Acesse Trem do Hype!