Home / Cinema / Artigos de Cinema / 4 obras de arte obrigatórias do estúdio Ghibli
Estúdio Ghibli

4 obras de arte obrigatórias do estúdio Ghibli

4 obras de arte obrigatórias do estúdio Ghibli

Todos os anos recebemos nos cinemas variados filmes de animação, um gênero que há muito ultrapassou a barreira do público, que por muitos anos era restrito ao infantil.

Estúdios como a Pixar e a Dreamworks a cada ano lançam filmes com mensagens maduras, com camadas que dificilmente crianças conseguem captar, mas sem deixar de lado toda a diversão que leva o público infantil às telas do cinema.

Mas nem só desses estúdios vivem as grandes animações no cinema. O estúdio Ghibli, do Japão, já ganhou Oscar e está sempre pintando entre as indicações da maior premiação do cinema mundial.

O estúdio já lançou dezenas de filmes que tocam em temas pouco abordados no cenário. Não é difícil assistir a um filme do estúdio onde a natureza é minuciosamente contemplada, ou onde lendas orientais ganham forma, até mesmo sendo tema central do filme.

Fato é que o estúdio sabe captar sentimentos como ninguém, possuindo entre filmes alegres e filmes tristes(alguns destruidores).

Dito isso, citaremos 4 filmes para iniciar sua jornada no estúdio Ghibli:

1 – As memórias de Marnie

Anna é uma menina de 12 anos que mora com os pais adotivos.

Introvertida e com problemas de saúde, Anna precisa de um lugar tranquilo e de um ar mais limpo que o da cidade grande, e por isso se muda para uma pacata cidade de interior que fica situada em uma pequena ilha.

Morando com parentes distantes, Anna se vê solitária, até que ela conhece Marnie, uma menina que logo se torna sua melhor amiga, mas que tem seu passado e sua origem envoltos em um intrigante mistério.

Visualmente, este filme é um espetáculo! A natureza é sempre retradada de maneira bela, com uma qualidade de animação de cair o queixo!

A história a cada minuto torna-se mais interessante e sensível, até os momentos finais onde as revelações dificilmente não farão cair lágrimas de seus olhos.

2 – O conto da princesa Kaguya

O conto do cortador de bambu é um dos contos populares mais antigos do Japão.

Nele conhecemos a história de Kaguya, uma criança misteriosa do tamanho de um dedo polegar, encontrada por um senhor dentro do caule de um bambu brilhante.

O filme, baseado neste conto, possui um traço de animação bastante incomum para os moldes atuais.

Apostando em traços que mais parecem desenhos feitos a mão, o estúdio ghibli inova aqui ao oferecer um entretenimento com poucos diálogos, com movimentações pouco realistas e mais artísticas, em uma ambientação estritamente japonesa.

O conto da princesa Kaguya narra do momento em que Kaguya é encontrada, até se tornar numa princesa que se vê empurrada a se enquadrar nos padrões da sociedade, ao mesmo tempo que precisa se encontrar com seu verdadeiro “eu”.

Um filme belo, artístico e obrigatório!

Estúdio Ghibli - Ponyo

3 – Ponyo – Uma amizade que veio do mar

Sousuke é um menino de 5 anos que mora com seus pais em um penhasco.

Seu pai, porém, na maior parte do tempo está longe, no mar, a trabalho.

Um dia Sousuke conhece Ponyo, uma peixinho dourado com a cabeça presa em um pote de vidro, que sendo tirada dali, é colocada em um balde por Sousuke e passa a acompanhá-lo.

Trata-se aqui de um romance inocente e sensível sobre duas crianças que se amam à primeira vista e decidem enfrentar até a ira de um feiticeiro que quer sua filha de volta no fundo do mar.

Infantil, porém belo, Ponyo é um filme emocionante, divertido, visualmente lindo e com uma trilha sonora magnífica!

Crianças ensinam muito sobre o amor!

Estúdio Ghibli - Hotaru no Haka

4 – O túmulo dos vagalumes (Hotaru no Haka)

É quase impossível, pra mim, falar do estúdio Ghibli sem falar deste filme.

Não se trata apenas de um dos filmes mais bonitos e emocionantes do estúdio. Trata-se de um dos melhores filmes que assisti na minha vida!

O túmulo dos vagalumes é um filme sério, dramático, belo e sobretudo, triste.

A narrativa realista sobre dois irmãos que perdem tudo, após uma série de ataques aéreos sobre o Japão na segunda guerra, causa choque, indignação, reflexão e tristeza.

Após perderem tudo, os dois irmãos partem sozinhos em busca da sobrevivência. Sem família, sem amigos, sem ninguém.

O estúdio Ghibli acerta em cheio ao apresentar o outro lado da guerra.

Longe do campo de batalha, a história é de quem sofre as consequências.

É de quem não está na guerra, mas sofre por causa dela.

É um filme difícil de ser assistido, mas ao vê-lo, muitas reflexões surgem na mente:

Como sobreviver sem seus pais, sem parentes, sem amigos, em meio a um cenário de miséria e fome?

Como buscar alternativas quando não resta mais nada?

Como países decidem bombardear pessoas(incluindo inocentes, crianças, bebês) sem nenhum receio?

Neste momento, na Syria, por exemplo, histórias como essas se repetem diariamente.

Assista esse filme! Vai ser dolorido, não é um filme pra divertir ou pra fazer sorrir. É difícil, triste e duro, mas vai valer a pena!

 

*E você, quais filmes gostaria de ver por aqui? Comenta aí que nos próximos, sua sugestão pode pintar!

 

Comentários

Sobre Tibóto

Veja Também

O Farol das orcas

O Farol das orcas | Por que você deve assistir?

O farol das orcas (El faro de las orcas) é um drama argentino/espanhol independente. Tendo …